Centro da Visão de Guarabira volta a funcionar e pacientes já podem fazer consultas e cirurgias

Cirurgias que poderiam custar 5 mil reais estão sendo feitas de graça no local; prefeito Zenóbio determina que serviço seja mantido durante todo o seu mandato
Cirurgias que poderiam custar 5 mil reais estão sendo feitas de graça no local; prefeito Zenóbio determina que serviço seja mantido durante todo o seu mandato

O Centro Municipal da Visão “Genival Barbosa de Lucena”, localizado nas dependências do Complexo Regional de Saúde “Antônio Paulino Filho” em Guarabira, retornou com suas atividades neste último sábado (25). No local os pacientes têm atendimento gratuito pelo SUS – Sistema Único de Saúde. Sendo uma gestão pactuada com a região de Guarabira. Dezenas de pessoas lotaram e foram atendidas no primeiro dia. É determinação do prefeito Zenóbio Toscano que durante todo o seu mandato o serviço seja mantido, que segundo ele não venha funcionar apenas por períodos definidos.

Quem necessitar dos serviços poderá fazer exames no Centro da Visão durante a semana e realizar as cirurgias aos sábados. Conforme o médico oftalmologista, Fernando Gadelha, que renovou os seus serviços com o município, no local estão sendo realizados vários tipos de cirurgias, como catarata, glaucoma, pterígio, tumores de pálpebras, pequenas lesões no globo ocular, entre outras. Ainda de acordo com o especialista, as instalações do Centro da Visão são de ponta. Ele ressaltou que uma cirurgia de catarata, por exemplo, custam em média de 3 a 5 mil reais por olho, e a mesma cirurgia está sendo feita gratuitamente no Centro.

Já de acordo com o secretário de Saúde, Wellington Oliveira, observou que a população carente não teria condições financeiras de fazer as cirurgias, e que por mês, cerca de 80 cirurgias deverão ser feitas. E por ano ficará entre 500 e 800.

O secretário também destacou que a Saúde vem avançando em vários aspectos, como no Centro de Especialidades Odontológicas – CEO, Centro de Reabilitação Motora Maria Moura, na Policlínica, nos Caps, e na entrega de medicamentos apesar das dificuldades iniciais.

Outras Notícias