IBGE Inicia entrevistas do Censo 2022 nesta Segunda (01).

As entrevistas do Censo Demográfico 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começam nesta segunda-feira (1º de agosto), em todos os municípios brasileiros. Em Guarabira, cerca de 50 recenseadores irão fazer o levantamento no município dos dados de coleta sobre a população e o perfil socioeconômico da cidade. De acordo com Ageu Bezerril, coordenador de área do Censo 2022 da agência do IBGE na cidade.

O Censo é uma pesquisa realizada a cada 10 anos pelo IBGE e a última foi feita em 2010. Os recenseadores estarão portanto coletes do IBGE e os formulários eletrônicos para pequisa. Quando estiver em dúvida, o morador pode verificar a identidade do recenseador pelo site Respondendo ao IBGE ou pela Central de Atendimento ao Censo 0800 721 8181. Ambos constam no crachá do agente. Para realizar a confirmação, o cidadão deve fornecer o nome, matrícula e/ou CPF do recenseador.

As informações do Censo são essenciais para o desenvolvimento e implementação de políticas públicas e para a realização de investimentos públicos e privados. Entre as políticas públicas afetadas pelo Censo, é possível citar:

  • Calibragem da democracia representativa, através da contagem populacional (definição do número de deputados federais e estaduais e de vereadores);
  • Determinação dos públicos-alvo de políticas públicas federais, estaduais e municipais;
  • Detalhamento da população em risco para campanhas de vacinação;
  • Ajustes nas políticas para superação e recuperação pós-pandemia;
  • Transferências e recursos para a administração de programas sociais;
  • Identificação de áreas de investimento prioritário em saúde, educação, habitação, transportes, energia, programas de assistência a crianças, jovens e idosos.

Serão aplicados, segundo o IBGE, dois tipos de questionário: o básico, com 26 quesitos, leva em torno de 5 minutos para ser respondido. Já o questionário ampliado, com 77 perguntas e respondido por cerca de 11% dos domicílios, leva cerca de 16 minutos.

O questionário básico traz os seguintes blocos de perguntas: identificação do domicílio, informações sobre moradores, características do domicílio, identificação étnico-racial, registro civil, educação, rendimento do responsável pelo domicílio, mortalidade.

Já o questionário da amostra, além dos blocos contidos no questionário básico, investiga também: trabalho, rendimento, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, pessoas com deficiência, migração interna e internacional, deslocamento para estudo, deslocamento para trabalho e autismo.

A seleção da amostra que irá responder o questionário ampliado é aleatória e feita automaticamente no Dispositivo Móvel de Coleta (DMC) do recenseador. Apenas uma pessoa do domicílio responderá por todos os residentes. Segundo o IBGE, qualquer morador, acima de 12 anos, capaz de fornecer as informações, pode responder ao recenseador por todos os demais moradores do domicílio.

O IBGE solicita os dados da pessoa que prestou as informações, como nome, telefone, e-mail e CPF. “Todas as informações coletadas são confidenciais, protegidas por sigilo e usadas exclusivamente para fins estatísticos, conforme estabelece a legislação pertinente: Lei nº 5.534/68, Lei nº 5.878/73 e o Decreto nº 73.177/73”, destaca o IBGE.

No Censo 2022, além da coleta presencial, será possível responder ao Censo também pelo telefone ou optar pelo autopreenchimento via internet. Em qualquer situação, entretanto, será preciso que o recenseador visite o domicílio, para captar a coordenada e fazer o contato com o morador. A entrevista por telefone também será utilizada para aqueles que optarem pelo autopreenchimento pela internet, mas não concluírem o questionário. Para isso, o IBGE terá uma central telefônica exclusiva, o Centro de Apoio ao Censo (CAC), disponível via 0800 721 8181.

Caso o recenseador não encontre o morador na primeira visita, ele deixará um bloco de recado ou tentará o contato por telefone. Além disso, o recenseador deverá retornar ao domicílio, no mínimo, mais quatro vezes, sendo que uma obrigatoriamente em turno alternativo.

A operação prevê ainda que o supervisor de cada área retornará aos domicílios com morador ausente ou com recusa expressa e entregará uma carta de notificação, contendo um e-ticket válido por dez dias para o preenchimento pela internet. “É a última tentativa e, se não houver resposta, não há retorno e o domicílio será posteriormente tratado estatisticamente”, explicou Duarte.

 

(Texto redigido com informações e colaboração do IBGE/G1) 

Outras Notícias